quinta-feira, abril 30, 2009

Compressão da Magnetosfera pelo Sol



Esta animação publicada esta semana no sítio da ESA ilustra a compressão da magnetosfera terrestre quando o Sol está muito activo. Os resultados mostram uma compressão e a modificação da composição iónica à volta da Terra muito mais importante do que o esperado. Ler mais aqui.

quarta-feira, abril 29, 2009

E se a Ryanair fosse para a lista negra?



Se tiver uma reclamação a fazer à Ryanair espera-o um magnífico número de fax irlandês (reze para que funcione) para o qual deve enviar a sua reclamação escrita apenas em inglês. Mas esqueça a resposta!
Se por acaso perder ou receber a sua bagagem danificada, independentemente da gravidade da situação, a Ryanair tem uma compensação para o seu problema: 15€... Não é por acaso que Conselho dos Passageiros do Reino Unido considerou a Ryanair como a pior companhia a compensar os seus passageiros por problemas com bagagens.

Já viajei muito com a Ryanair e garanto-vos que no total, se contar tudo, despesas de deslocação a aeroportos manhosos (os tais "mais um"), refeições forçadas, desvios de rota (os aeroportos manhosos estão mal equipados para o mau tempo), táxis forçados, excesso de peso no inverno (tenho 1,94, só os meus sapatos e casacos...), etc. se contar tudo, tudo, poupei em média 20 ou 30€ por voo comparando com outras companhias. E 30€ de poupança não valem o sacrifício de voar na Ryanair. Além disso não estou a incluir o que pagamos todos indirectamente em chantagens que a Ryanair faz aos governos regionais e às autarquias, ameaçando voar para outros destinos. Quanto paga a Câmara do Porto à Ryanair?

Será que não há limites para o cinismo da Ryanair, que aproveita de todos os interstícios das leis europeias para extorquir dinheiro aos seus passageiros? Acho que seria tempo de colocar a Ryanair na lista negra de companhias aéreas na UE por não garantir a segurança dos haveres dos passageiros e por não respeitar as regras básicas de reclamações e trocas (à atenção dos nossos euro-eleitos).

Ler estas 20 razões para não voar na Ryanair no Times.

terça-feira, abril 28, 2009

25 de Abril na Islândia II

Vale a pena ler este artigo do Renato Soeiro no Esquerda.net sobre as consequências das eleições na Islândia. Espero que uma das consequências seja a adesão da Islândia à UE e ao euro. Paradoxalmente, espero que o façam pelas razões que fazem temer a Esquerda Verde da Islândia referidas pelo Renato:

"Entre toda a esquerda [verde] nórdica há uma tradicional oposição à União Europeia, que é vista como uma interferência na soberania nacional, tendo sempre como consequência baixar os elevados níveis de protecção e de remuneração de que gozam os trabalhadores naqueles países, classificados como os melhores do mundo em muitos dos índices internacionais de qualidade de vida e justiça social."

Ora, eu espero que a entrada da Islândia para a UE ajude a levantar a fasquia dos níveis de protecção e de remuneração e a elevar os índices de qualidade de vida dos restantes países. Seria de certa forma uma atitude solidária para com as outras esquerdas da Europa que se batem em países muito mais conservadores. Temo que o acantonamento das esquerdas nas respectivas capelinhas, nos seus cantinhos da Europa, poderão pôr em causa mais facilmente essas políticas.

segunda-feira, abril 27, 2009

Preocupante Acidificação da Água dos Oceanos

(Publicado no Portal Esquerda.net)

Desde 1750, a acidez média dos oceanos aumentou cerca de 30%. Este aumento resulta da emissão de dióxido de carbono (CO2) para a atmosfera produzido pela actividade humana desde o início da era industrial. A subida vertiginosa da concentração de CO2 na atmosfera tem contribuído também para o aumento do efeito de estufa da atmosfera terrestre e deste modo para o aquecimento global da Terra, mas os seus efeitos negativos não se ficam por aqui. Hoje em dia os cerca de 25 milhões de toneladas de CO2 que se combinam por dia com a água dos oceanos produzem ácido carbónico, diminuindo progressivamente o pH dos oceanos. Desde 1750, os nossos oceanos absorveram cerca de um terço do CO2 emitido pelo homem diminuindo o pH médio da água de 8,16 no início do século XIX para 8,05 no século XXI. Estima-se que o pH poderá descer para 7,6 em 2100 se forem mantidas as taxas actuais de emissão de CO2.

Os primeiros estudos da acidificação da água dos oceanos são recentes, começaram há cerca de 20 anos e os primeiros resultados foram publicados há cerca de 15 anos. Apesar de se tratar de uma área de estudo muito recente, os resultados obtidos até hoje são assustadoramente concludentes. O aumento de acidez da água afecta de uma forma clara organismos que produzem conchas, carapaças e esqueletos de calcário, tais como os moluscos e os corais e afectam também a base da cadeia alimentar dos oceanos: o plâncton. Em trabalhos científicos recentes realizados no Reino Unido e em França observou-se um pH ácido, cerca de 6, no aparelho digestivo dos moluscos capturados em zonas onde o mar apresenta um pH da ordem de 7, mais ácido do que a média global dos oceanos. A acidez do aparelho digestivo estava a causar a sua morte. Observou-se também que o aumento da acidez diminui a taxa de produção de calcário das conchas dos moluscos, contribuindo para que esta defesa vital destes organismos se torne muito mais frágil.

O Laboratório de Oceanografia de Villefranche-sur-Mer em França e a Universidade de Plymouth no Reino Unido são as instituições que têm realizado os trabalhos mais importantes neste domínio. A opinião dos investigadores destas instituições é clara e unânime e vai no sentido de que se não reduzirmos drasticamente as nossas emissões de CO2 afectaremos de uma forma catastrófica os ecossistemas dos nossos oceanos.

sexta-feira, abril 24, 2009

Pelo Choupal

Está programa a construção de um viaduto rodoviário com 40 metros de largura e que atravessa numa extensão de 150 metros o Choupal. É um crime que vai inutilizar uma boa parte da área daquela que é uma das poucas zonas verdes relativamente naturais da cidade de Coimbra.
Para protestar contra a construção deste viaduto visitar a página da Plataforma pelo Choupal.

quinta-feira, abril 23, 2009

Vaclav Havel sobre a mão invisível

Uma das passagens interessantes de que tomei nota na minha leitura de "To the Castle and Back" de Vaclav Havel. Respondendo a uma questão sobre a transição do comunismo para a economia de mercado na República Checa:

"What bothered me most, however, was the fact that I found a lack of conceptual vision, not only in the economy, but in our very understanding of what the state should be. "The invisible hand of the market" was supposed to take care of everything, but there are things that simply can't take of, and I would even say that this glorious "invisible hand" is occasionally capable of committing some highly visible crimes" pag. 159.

quarta-feira, abril 22, 2009

Índice da contraproducência -> 10/10

Um dos efeitos negativos da histeria dos nosso media (que me farto de criticar) e das campanhas obsessivas contra Sócrates feitas às mijinhas é muita gente já ter desistido de seguir o caso Freeport no momento em que as artimanhas começam a ser mais claras. A consequência é que a popularidade de Sócrates continua em alta quando deveria estar pelas ruas da amargura. É pena porque o PS deveria sentir-se obrigado a substituir Sócrates e em vez disso alguns responsáveis sentem-se confiantes com as desculpas esfarrapadas. É pena também, porque gostaria que este PSD (Ferreira Leite e conselheiros ultra-liberais) pagasse o preço forte nas urnas da responsabilidade ideológica que tem nesta crise, sem o ruído de fundo do caso Freeport a dar-lhes força.

segunda-feira, abril 20, 2009

Substituir José Sócrates

O mínimo que se pode dizer sobre José Sócrates no caso Freeport é que este participou numa manobra política que permitiu a um projecto até então ilegal, passar a ter enquadramento legal. Este é um dos conhecidos cancros da política nacional.

Só por este motivo, acho que os bons militantes do PS, aqueles que são mais fieis aos ideais fundadores do partido do que aos grupos de pressão, deveriam pensar seriamente em substituir José Sócrates e deveriam ser radicais e agir rápido, antes das eleições, porque o descalabro resultante das investigações pode ser muito grande e vergonhoso para todos, para o país e não apenas para o PS.

Bons eurodeputados



Perante a miséria de debate sobre as europeias que se adivinha depois da escolha do cabeça de lista do PSD, vou puxar aqui a brasa aos nossos melhores representantes no Parlamento Europeu: a Ana Gomes, a Assunção Esteves e o Miguel Portas. Sobre cada um deles escreverei em breve.

sábado, abril 18, 2009

Sábado em Coimbra XLIV: A Poesia do 17

(foto Jornal Cabra)

Se fizéssemos uma recolha dos momentos mais poéticos da história de Portugal, o 17 de Abril de 1969 em Coimbra estaria entre esses momentos.
A minha humilde homenagem a essa rapaziada corajosa, que num país de carneirinhos mansos, interpelou olhos nos olhos o mais alto representante do regime totalitário e o pôs a andar da cidade de rabinho enfiado entre as pernas (consta até que lhe apalparam o cu e ele fingiu que não sentiu...).

Ler o Luís Januário, o prof. Carlos Fiolhais e Vital Moreira.

Sábado em Coimbra XLIII

sexta-feira, abril 17, 2009

Sinais dos tempos: Manifestação no Mónaco




Não, não estamos todos a sonhar é mesmo uma manifestação no Principado do Mónaco por mais direitos sociais, contra a precariedade, por melhores salários, etc., uma manif como deve ser, com bandeirinhas vermelhas e tudo, que desfilou entre Ferraris e Aston Martins.

quinta-feira, abril 16, 2009

Eurodeputado da Junta de Freguesia de Portugal

A escolha de Paulo Rangel como cabeça de lista do PSD às Europeias é um exemplo da visão tipo junta de freguesia da nossa má política internacional. Ferreira Leite tem vindo a ser aconselhada pelos responsáveis ideológicos da crise, os tais que não gostam da UE, não gostam de associações de países, os que vivem na ilusão de que o mercado resolve tudo e por isso a UE é supérflua. Já foi anunciado, o tema do PSD das europeias é a política nacional, e de preferência a mais rasteira.
É pena, a eurodeputada Assunção Esteves foi um dos nossos melhores elementos no Parlamento Europeu e, embora não seja da minha área política, daria um contributo valiosíssimo para elevar o debate das europeias. Mas na actual capelinha do PSD não cabem elementos com visões mais universalistas, é tempo de defender a noscha terrinha e a noscha gêinte.

terça-feira, abril 14, 2009

Sistema de recuperação de energia cinética na F1

(Publicado no portal Esquerda.net)

Apesar dos desportos motorizados como a Fórmula 1 e os rallies servirem em parte para vender automóveis, acessórios, combustíveis, etc., nas últimas décadas estes desportos têm servido igualmente para desenvolver significativamente investigação de ponta no sector automóvel com resultados muito positivos. Muitas das soluções encontradas tornaram mais eficientes muitos dos órgãos mecânicos dos carros que percorrem todos os dias as nossas cidades (suspensões, amortecedores, pneus, transmissões, elementos aerodinâmicos, etc.) e contribuíram para aperfeiçoar novas soluções para os motores (multi-válvulas, injecção electrónica, turbo, etc.). À escala mundial esses aumentos de eficiência compensam largamente a poluição causada pelos rallies ou pelos grandes prémios.

Dadas as restrições que a legislação de vários países têm vindo a impor aos motores dos automóveis para combater o aquecimento global e a penúria de combustíveis fósseis, a Federação Internacional Automóvel concebeu novos regulamentos que permitissem a introdução de sistemas e recuperação de energia já em 2009 na Fórmula 1. Desde o início da temporada que vários fórmula 1 têm participado nos grandes prémios com um novo sistema de recuperação de energia cinética, designado em inglês KERS (Kinetic Energy Recovery System). Este sistema recupera a energia cinética do carro durante a fase de travagem e permite armazená-la de forma a estar disponível mais tarde durante a fase de aceleração. Embora existam vários tipos de KERS, em média este sistema permite transmitir 80 cavalos de potência extra a um carro de fórmula 1 durante cerca de 7 segundos, sendo accionado pelo piloto através de um botão instalado no volante. A McLaren, a Renault, a Ferrari e a BMW estão entre as equipas que já utilizaram com algum sucesso este novo sistema.

Embora algumas marcas já comercializem automóveis equipados com sistemas similares, a sua utilização em viaturas de competição como na fórmula 1 proporcionará um desenvolvimento muito mais rápido deste sistemas, contribuindo para a sua banalização mais cedo do que o previsto. Os benefícios destes dispositivos poderão assim alastrar-se a centenas de milhões de viaturas novas em todo o mundo. Mesmo que o ganho percentual deste sistema seja baixo, à escala mundial, traduzir-se-á num valor absoluto significativo de redução de consumo de combustíveis fósseis e de libertação de gases de efeito de estufa.

quarta-feira, abril 08, 2009

Europeísmo Apático

Durante esta legislatura, o europeísmo do nosso Primeiro Ministro oscilou entre o folclore da designação do Tratado Simplificado (de Lisboa) e as vénias aos caprichos da Administração Bush. O apoio à candidatura de Durão Barroso a mais um mandato na Comissão Europeia, mesmo em caso de vitória do PSE, é a confirmação de um europeísmo apático com uma pitada de orgulhismo nacional.
Barroso não entusiasma ninguém na Europa e nesta altura em que os cordelinhos do Partido Republicano dos EUA ficaram mais fracos seria uma boa oportunidade para a Europa escolher um novo presidente da Comissão que fosse um verdadeiro europeísta. O luxemburguês Jean-Claude Junker seria a escolha ideal se o PPE ganhar e à esquerda Segolène Royal ou Zapatero poderiam ser as opções mais frescas vindas da área do PSE. Blair nunca!

Ler o Rui Bebiano sobre o mesmo tema

terça-feira, abril 07, 2009

segunda-feira, abril 06, 2009

quinta-feira, abril 02, 2009

A volta ao mundo em 80 telescópios

"A Volta ao Mundo em 80 Telescópios" é uma iniciativa da ESA enquadrada no evento 100 Horas de Astronomia do Ano Internacional da Astronomia. Durante 24 horas serão transmitidas em directo imagens do interior das instalações dos maiores e mais modernos observatórios do mundo. Poderão ser colocadas questões e enviadas mensagens aos astrónomos que estarão online nesse momento e em particular às equipas que estão a operar dois observatórios espaciais da ESA: o observatório de raios X, o XMM, e o observatório de raios gama, o INTEGRAL.
A transmissão tem início às 10h de amanhã, 3 de Abril, neste endereço.