quinta-feira, outubro 30, 2008

O Modelo Social Europeu em Dresden


Dresden, Saxónia, Alemanha (Outubro de 2008)

Este ano o Nuclear Science Symposium decorreu em Dresden, em território da ex-RDA. O ano passado participei na edição de 2007 do mesmo congresso que decorreu no Havai. Algumas recordações tristes ficaram, como aquelas dezenas de velhinhos a invadir um jardim público no centro de Honolulu disputando este e aquele canto para ali passarem a noite, ou a gigantesca cidade de tendas e rulotes a norte de Pearl Harbor ou ainda famílias inteiras a utilizar os balneários das praias como se fosse uma casa de banho privada. Estava num país da OCDE, mas aquilo parecia o terceiro mundo.

Este ano em Dresden, ex-RDA, ex-território do socialismo real, apesar de aqui e ali se verem alguns vestígios do passado, alguns prédios standard do socialismo, dos que se vêem de Bratislava até Pequim, deparei com uma cidade equilibrada, sem a ostentação novo-riquista e sem bolsas de pobreza visíveis a olho nu. Foi para ali que foi uma parte do PIB da UE durante os últimos 15 anos, para as pessoas, para o concreto, enquanto nos EUA o PIB servia para engordar Wall Street e o Lehman Brothers. O desemprego na Saxónia é elevado, bem acima dos 10%, mas os habitantes de Dresden têm hoje a sua cidade finalmente reconstruída da II Guerra Mundial e, mais importante ainda, sabem o que os espera quando tiverem 65 anos. Uma coisa é quase certa, não vão terminar os seus dias a disputar um lugar num jardim público, mesmo que a vida não corra lá muito bem.

quarta-feira, outubro 29, 2008

Houellebecq e BHL no Café Littéraire




Michel Houellebecq e Bernard-Henri Lévy tiveram honras de uma emissão especial do excelente programa de literatura Café Littéraire dedicado em exclusivo ao livro que publicaram a duas mãos, "Ennemis publics". Para os meus fiéis leitores aqui fica o programa na integra, dividido em dois vídeos Daily Motion .

Um programa de literatura dedicado a apenas um livro, escrito por dois dos maiores escritores da actualidade é certo, com 20 minutos de publicidade ininterrupta antes do início da emissão é algo de verdadeiramente extraordinário que só acontece em França. Estavam ali jornalistas de vários países europeus que atestaram esta fabulosa singularidade francesa.



terça-feira, outubro 28, 2008

O caos fora da zona euro

Até ver os países da zona euro, com mais ou menos dificuldades, mais ou menos nacionalizações, têm aguentado o impacto da crise. Fora da zona euro, depois da falência técnica da Islândia, seguiu-se agora a Hungria e a Ucrânia. O FMI acabou de aprovar uma ajuda substancial à Hungria, depois das ajudas à Islândia e à Ucrânia. No entanto, existem mais países em séria dificuldades onde as respectivas moedas entraram num processo de desvalorização e de desestabilização preocupante como é o caso da Polónia e da República Checa.
Não sou especialista em economia, mas parece-me que o euro está a servir para aquilo foi criado. Uma moeda única europeia é mais forte e resiste melhor que as moedas nacionais à especulação e à instabilidade dos mercados financeiros, para além de servir de chapéu-de-chuva a países que a ela estão fortemente ligados como são os casos do Reino Unido e da Eslováquia (entrará no euro em 2009).

O Forint (Hungria) em Euros:

segunda-feira, outubro 27, 2008

A Primeira Missão Lunar da Índia



A minha crónica deste fim-de-semana no portal Esquerda.net:

Foi lançada esta semana do Satish Dhawan Space Centre em Sriharikota, a primeira missão lunar da Índia. Entre os principais objectivos desta missão não tripulada estão a análise da composição geológica da Lua, dos processos de formação de crateras e do seu campo magnético, bem como a busca de vestígios de gelo nos pólos.
Artigo de Rui Curado Silva, investigador no Departamento de Física da Universidade de Coimbra.

O satélite Chandrayaan-1 (Chandrayaan significa "expedição à Lua") entrará na órbita lunar dentro de duas semanas, baixando de seguida a sua altitude até atingir uma órbita circular a 100 km da superfície da Lua. A partir dessa órbita será ejectada uma sonda com uma massa de 29 kg em direcção à superfície lunar, que permitirá estudar vários aspectos do solo da Lua durante e após o impacto. Entretanto o Chandrayaan-1 continuará a estudar a Lua a partir da sua órbita utilizando 11 instrumentos científicos, entre os quais três pertencem à ESA.

A ESA e a Índia, através da sua agência ISRO (Indian Space Research Organisation), têm vindo a colaborar desde 1978 em várias missões espaciais, tendo sido lançados até hoje mais de uma dezena de satélites indianos a bordo de foguetões Ariane. Nesta missão recorreu-se a uma versão melhorada do Polar Satellite Launch Vehicle (PSLV) para lançar o Chandrayaan-1, denominada PSLV-C11, cuja concepção é integralmente indiana.

A aposta de países em vias de desenvolvimento como a Índia na exploração espacial é um estímulo muito positivo para a indústria, para a investigação e para o ensino nestes países e não é de modo nenhum incompatível com o esforço económico necessário para melhorar o nível de vida das suas populações. Se dúvidas existem, basta recordar o impacto incalculável do ponto de vista económico e social dos programas espaciais dos países mais desenvolvidos nas respectivas sociedades (ver este sítio da NASA sobre o impacto das tecnologias espaciais nas nossas casas e cidades).

domingo, outubro 26, 2008

quinta-feira, outubro 23, 2008

Petição por Roberto Saviano

Seis prémios Nobel (Dario Fo, Mikhail Gorbachov, Gunter Grass, Rita Levi Montalcini, Orhan Pamuk e Desmond Tutu) lançaram no jornal La Repubblica uma petição de apoio a Roberto Saviano, o autor de Gomorra, ameaçado de morte pela Camorra que vive sobre protecção permanente da polícia. Nos dois primeiros dias foram recolhidas cerca de 110 mil assinaturas. Para quem quiser juntar o seu nome a esta longa lista, eis o sítio da petição.

quarta-feira, outubro 22, 2008

A Índia vai à Lua



Foi lancado esta manha com sucesso do Satish Dhawan Space Centre em Sriharikota, a primeira missao lunar da Índia. Aqui ligacao à página da ESA sobre o Chandrayaan-1 e aqui a ligacao à página da ISRO (Indian Space Research Organisation).

terça-feira, outubro 21, 2008

Pacheco Pereira em Dezembro de 2007



Neste balanço e perspectivas organizado pelo Expresso em Dezembro de 2007, Pacheco Pereira afirmou categoricamente (aos 2:30 do filme acima) que o preço maior que os portugueses iriam pagar em 2008 adviria do carácter ideológico da política inspirada no Modelo Social Europeu; da universalidade e gratuitidade da saúde, da educação e da segurança social . Ora, pelo contrário, estamos em Outubro de 2008 e os portugueses já perceberam muito bem que vão pagar ao longo dos próximos anos, a preço forte, precisamente a ideologia que Pacheco Pereira tem vindo a defender, essa ideologia do Estado Mínimo, a mesma ideologia que deixou milhares de pessoas idosas sem reformas nos EUA, que obrigou milhares de pessoas modestas a devolver a sua habitação, a mesma ideologia que afundou um país rico e próspero como a Islândia e a mesma ideologia que ofereceu salários e lucros colossais a pessoas sem qualquer actividade produtiva. Por muitos defeitos que possa ter o Modelo Social Europeu, nunca uma catástrofe destas proporções se abateu sobre algum país por oferecer educação, saúde e segurança social de qualidade e quase gratuita aos seus cidadãos.

É arriscado fazer astrologia política. E foi esse o registo no qual Barreto e Pacheco Pereira se dirigiram ao país quando se pronunciaram sobre o futuro de uma forma categórica e arrogante (foi esse o tom). Rever esta entrevista 10 meses depois, rever aqueles semblantes austeros a pronunciar sentenças erradíssimas com uma precisão milimétrica sobre o ano de 2008 acompanhadas de risinhos e bocas marialvistas dos jornalistas, é um exercício que nos faz mergulhar no ridículo na sua forma mais pura.

segunda-feira, outubro 20, 2008

Voltaire e Schuman na rentrée literária francesa

A rentrée literária francesa oferece-nos este ano as biografias de dois europeus incontornáveis: Voltaire e Schuman. Max Gallo é o autor de "Moi, j’écris pour agir", Vie de Voltaire e François Roth assina "Robert Schuman".

terça-feira, outubro 14, 2008

The Economist de Junho de 2005

A The Economist já tinha escrito tudo sobre a actual crise do imobiliário, na sua edição de 18 de Junho de 2005!!!

O José Sousa do blogue Fututo Comprometido estava atento e escreveu um post acertadíssimo lido três anos depois.

segunda-feira, outubro 13, 2008

Gomorra



"Gomorra" é um filme de Matteo Garrone baseado na obra do mesmo nome do jornalista napolitano Roberto Saviano. Saviano está sob ameaça de morte desde 2006, residindo em local secreto e vigiado por uma escolta policial permanente. "Gomorra" é uma ficção construída a partir de investigações realizadas por Saviano sobre a rede económica da Camorra em Nápoles, em particular sobre as negociatas que envolvem o tráfico de droga, o tráfico de lixo tóxico e a exploração na industria têxtil.
Tendo em conta a actual situação da Itália, onde a criminalidade é indecentemente imputada aos ciganos e aos estrangeiros, "Gomorra" é um filme oportuno que refresca a memória dos mais distraídos, aqueles para quem os crimes da mafia passaram a ser matéria corrente e por isso esquecidos. Tal como o demonstra "Gomorra", a violência da Camorra não é comparável aos pequenos crimes que são imputados aos ciganos, é uma violência brutal e permanente que não tem paralelo em toda a Europa, é uma violência de uma cidade que em grande parte é terra de ninguém. Ali em Nápoles, tal como na Sicília, Berlusconi não tem tomates para tomar o mesmo tipo de medidas securitárias que tem implementado no resto do país contra os ciganos.
"Gomorra" é composto por quatro histórias paralelas, cada uma abordando diferentes sectores de influência da Camorra e diferentes níveis de actuação, do pequeno bandido que trabalha por conta própria ao baronato que gere as redes locais. "Gomorra" representa a violência com muita crueza a par com as ilhas de dignidade que algumas mulheres e homens tentam manter no meio do caos social, embora pagando por isso o preço mais elevado. O filme é falado em dialecto napolitano, opção que lhe confere mais autenticidade, mas obriga a ler as legendas mesmo quem fala italiano.
"Gomorra" é um dos grandes filmes de 2008, a não perder!

domingo, outubro 12, 2008

Medir o Kilimanjaro II

A minha crónica deste fim-de-semana no portal Esquerda.net:

Uma expedição internacional liderada pelo investigador Rui Fernandes do Centro de Geofísica da Universidade de Lisboa tem por objectivo medir a altura do Monte Kilimanjaro, na Tanzânia, com uma precisão de alguns centímetros. A medida actual de 5895 m correspondente à altura do Pico Uhuru foi determinada com uma margem de erro da ordem do metro.

A técnica inovadora utilizada pela equipa de investigadores envolvidos nesta expedição combina a utilização de dados fornecidos pelo sistema GPS (Global Positioning System) e observações gravimétricas. Sabendo que a força da gravidade apresenta pequenas variações de valor em função da altitude e do relevo terrestre, as medidas gravimétricas fornecerão um parâmetro de observação complementar e crucial para determinar com maior precisão da altura do Kilimanjaro.

A expedição divide-se em três grupos que percorrem diferentes trilhos desde o sopé ao cume do Monte Kilimanjaro. A tarefa de dois destes grupos foi a de estabelecer uma densa grelha de pontos (distanciados entre 3 km e 5 km), em torno e sobre o Kilimanjaro, onde serão realizadas observações gravimétricas. Obtém-se deste modo um volume aproximado do relevo do Monte onde a cada vértice é associado a força gravítica medida nesse ponto, cujo valor difere muito ligeiramente dos outros valores medidos. O terceiro grupo é responsável pela realização de observações GPS e pela instalação de uma estação GPS permanente que será ligada ao sistema de referência global ITRS2005 (International Terrestrial Reference System 2005).

Espera-se que nas próximas semanas já se possam conhecer alguns resultados preliminares e se tudo correr bem a altura do Monte Kilimanjaro poderá ficar determinada ao centímetro.

sexta-feira, outubro 10, 2008

Medir o Kilimanjaro



O meu amigo J., ex-escriba deste blogue (Samsa), integra uma expedição para medir com maior precisão a altura do Kilimanjaro. A precisão actual é da ordem do metro, se tudo correr bem, a precisão poderá passar para a ordem dos cm. Boa sorte!

quinta-feira, outubro 09, 2008

Se a Islândia tivesse aderido ao euro...

Se a Islândia tivesse aderido ao euro certamente não estaria a passar pelos problemas gravíssimos que estão a provocar um caos económico no país como já não se via na Europa desde o fim da União Soviética, em particular uma inflação de 15% e a desvalorização em 60% da coroa islandesa em apenas um ano. Se a Islândia tivesse aderido ao euro tal como outros pequenos países da Europa que não pertencem à UE (San Marino, Andorra, Mónaco e Vaticano) estaria sem dúvida a passar por graves problemas decorrentes da crise financeira, mas a protecção que lhe garantiria a moeda europeia impediria certamente o estado de falência técnica em que se encontra o país. Aliás o "chapéu de chuva" do euro está a proteger outras moedas em grandes dificuldades dentro da UE. A Islândia que era uma das mais saudáveis e ricas democracias da Europa entrou num tal estado de retrocesso que necessitará provavelmente pelo menos uma década para sair do fundo do buraco onde se encontra.

Este é o momento ideal para ler os delírios escritos pelo economista João Ferreira do Amaral contra o euro em Outubro de 2000.

quarta-feira, outubro 08, 2008

Um oportuno Nobel da Física

Tal como refere o Prof. Carlos Fiolhais este Nobel não poderia ser mais oportuno, tendo em conta a inauguração do LHC do CERN há menos de um mês. Ora, curiosamente o trabalho de investigação de dois dos três japoneses laureados (um deles de nacionalidade americana) com o prémio Nobel da Física depende directamente de experiências realizadas em grandes aceleradores de partículas como os do CERN. Makoto Kobayashi é investigador do KEK, Japão, onde operam diversos aceleradores de partículas e Yoichiro Nambu pertence ao Instituto Fermi cujos aceleradores integram o Fermilab, EUA.

Um dos resultados esperados do novíssimo LHC do CERN é que possa oferecer vários contributos da maior importância para a ciência e que daqui a uma dezena de anos possam surgir alguns prémios Nobel resultantes da investigação ali realizada. Só à conta dos aceleradores mais antigos, o CERN já produziu oito prémios Nobel. Nada mau!

terça-feira, outubro 07, 2008

Dominó financeiro vai chegar às empresas

Esta crise que atingiu directamente o serviço de crédito bancário, vai ter consequências graves muito em breve sobre todas as empresas que dependiam do crédito bancário para financiar os seus projectos, cobrir as suas dívidas e algumas inclusivamente para pagar os seus salários. É muito provável que em breve novas falências e desemprego venham afectar outros sectores para lá do sector financeiro.

segunda-feira, outubro 06, 2008

Houellebecq e Bernard-Henri Lévy

Michel Houellebecq, autor de "Partículas Elementares" e o filósofo Bernard-Henri Lévy acabam de lançar "Ennemis publics" um livro de recolha de correspondência trocada entre os dois autores entre Janeiro e Julho deste ano, ao longo da qual partilharam as suas principais obsessões, análises políticas e reflexões sobre temas sociais caros a cada deles.

domingo, outubro 05, 2008

Dominó da crise da Alemanha para a Bélgica

O grupo alemão Hypo Real Estate está à beira da falência, correndo o risco de levar consigo o grupo belga Dexia, que se pensava já estar ao abrigo de problemas depois do plano de emergência implementado pelo governo belga na passada sexta-feira. Tudo depende do acordo de Merkel para a injecção de 50 mil milhões de euros.
Imaginem, nestas horas que vão decorrendo, acólitos convictos da mão invisível, grandes seguidores do ultra-liberalismo à americana a pedincharem esta módica quantia à mão socialista, ao bolso do contribuinte alemão...

Rentrée literária francesa

Aqui a primeira selecção do Prix Goncourt de 2008.
Aqui a primeira selecção do Grand Prix du Roman de l’Académie française de 2008.

sexta-feira, outubro 03, 2008

Afinal o Aquecimento Global existe mesmo...

Foi delicioso assistir ao momento do debate em que a candidata Palin admitiu que as alterações do clima existem, que no seu Alasca são bem visíveis e que se devem também à actividade humana. Ela disse aquilo com a voz embargada é certo, tropeçou numa ou noutra palavra, mas engoliu o sapinho todo, perninhas e tudo! Os conselheiros de McCain não brincam em serviço e controlaram magistralmente os delírios do fanatismo religioso-político de Palin.

Depois desta, o Rui Moura, o João Miranda e o A. Azevedo Alves são a nossa reserva protegida de exotismo niilista na sua heróica missão contra a grande conspiração planetária dos "alarmistas" do aquecimento global. À falta de raridades tão extravagantes como a Sociedade da Terra Plana, temos todo o interesse em proteger com carinho estes nichos de exotismo pseudo-científico.

Os custos do centralismo

Figueira de Castelo Rodrigo decidiu atribuir prémios de 500 a 750 euros para cada criança que nasça na vila ou para cada casal que decida fixar-se no concelho (via Origem das Espécies).
Um dos argumentos que pegou na altura do referendo à Regionalização era que esta seria cara para o contribuinte, que iria implicar mais custos administrativos, etc. Aqui temos mais um exemplo (entre outros cada vez mais frequentes) que mostra como o centralismo pode ser caro.

quinta-feira, outubro 02, 2008

5 cartões de crédito para Nick Leeson

Nick Leeson foi condenado a seis anos e meio de prisão em Singapura por ter sido considerado responsável pela falência em 1995 do mais antigo banco de investimento britânico, o banco Barings. Após ter cumprido a sua pena (reduzida por bom comportamento), de regresso a Inglaterra, foram-lhe propostos 5 cartões de crédito só na primeira semana. Nas suas palavras:

"I returned from Singapore in 1999, responsible for £862m worth of losses that brought down Britain's oldest investment bank, personally liable through an injunction for £100m, and yet within the space of a week had been offered five different credit cards. Ridiculous! Any central bank will tell you that the system exists on the premise of "responsible lending"; but the experiences of the past few years clearly show this is utter rubbish."

Ler aqui o seu testemunho completo sobre a actual crise dos mercados financeiros e sobre a impunidade de que gozam os actuais responsáveis.

quarta-feira, outubro 01, 2008

O PSD vai introduzir o criacionismo nas escolas?

É a pergunta natural que nos interpela depois do apoio oficial do PSD à candidatura do Partido Republicano. Se os fanáticos que estão representados na candidatura de McCain chegarem ao poder, o que vai o PSD dizer sobre as pressões que vão surgir para introduzir o criacionismo no ensino nos EUA? E será Manuela Ferreira Leite a responder ou serão os atlantistas radicais que estão nos bastidores da presidente do PSD a responder?

Faço notar que não estou a pedir para que o PSD apoie Obama, mas suponho que uma direita séria não apoia uma candidatura apinhada de fanáticos, tal como acho que uma esquerda com o mínimo sentido crítico não deve apoiar Chavez, nem Fico (primeiro minstro da Eslováquia).