quarta-feira, maio 31, 2006

Dr. Estranho Amor sempre actual

"Dr. Estranho Amor" é o meu filme preferido de Stanley Kubrick e é também um ácido retrato sobre os perigos que representavam os arsenais nucleares desmesurados da URSS e dos EUA nos anos 60, em plena Guerra Fria. "Dr. Estranho Amor" foi estreado em 1964 e dado o conteúdo do filme ser bastante crítico à política militarista americana, considero esta obra um acto corajoso de Kubrick, numa época em que a mínima crítica às opções militares do governo era frequentemente classificada de anti-patriótica e de pro-soviética. Apesar da Guerra Fria ter acabado com o colapso do regime soviético, "Dr. Estranho Amor" continua a ser um filme actual dada a febre nuclear de uns quantos chefes de estado do planeta, alguns dos quais são tão surrealistas que poderiam ser personagens desta obra de Kubrick sem que se notasse diferença. O filme aborda também a importante questão do "telefone vermelho", o telefone que ligava o Presidente dos EUA directamente ao Presidente da URSS. A instalação desta linha de telefone directa que visava diminuir os riscos de um lançamento acidental ou criminoso data de 1963. Hoje esta linha liga Bush a Putin, no entanto as outras potências nucleares (Reino Unido, China, França, Israel, Paquistão, Índia e Coreia do Norte) não dispõem de qualquer dispositivo de segurança deste tipo, o que representa um risco considerável para a segurança do planeta. Por exemplo, durante a guerra do Kargil em 1999 o exército paquistanês mobilizou o seu arsenal nuclear sem que o próprio primeiro ministro Nawaz Sharif tivesse sido informado... Sharif foi informado pelos americanos das manobras das suas forças armadas!

Para quem gosta de Peter Sellers este é um filme a não perder. Sellers representa três personagens: o capitão Lionel Mandrake, o Presidente dos EUA e o Dr. Estranho Amor. Na pele de Dr. Estranho Amor sentimos aquele Sellers delirante e inimitável, mas que encaixa na perfeição na sinistra personagem. No entanto, e apesar de menos extravagantes, sempre existiam homens assim de ambos os lados, homens muito perigosos e com demasiado poder.

terça-feira, maio 30, 2006

Hirsi Ali: Holanda mais eficaz que os islamistas

Considero a expulsão velada da deputada holandesa Hirsi Ali, por esta ter mentido aquando do seu asilo em território holandês, um verdadeiro escândalo. O Estado Holandês conseguiu aquilo que os islamistas holandeses sempre sonharam, mas que nunca conseguiram realizar: despachar a incómoda Hirsi! É esta a verdadeira Holanda do Não à Constituição, é a representante de uma Europa intolerante e muito pouco social.

segunda-feira, maio 29, 2006

Palma de Ouro: a República contra o Império

O inglês Ken Loach, autor de "Terra e Liberdade", foi o vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes com o oportuno filme "The Wind That Shakes The Barley". Quando se comemoram os 90 anos de alguns dos principais acontecimentos que levaram à independência da República da Irlanda, o filme de Loach vem relembrar alguns episódios muito pouco gloriosos de um passado não muito distante da história do Reino Unido.

Ler o João Romão sobre a Palma de Ouro no Almareios

Cumprir ou relatar a pena

"... o tempo que me permite estar no sistema bloguístico já deu para perceber que existem muitas semelhanças entre nós, os cá de dentro, e os outros, os aí de fora. A única diferença é que nós cumprimos pena, enquanto os outros relatam a sua."

Zé Amaral (Memórias do Cárcere)

domingo, maio 28, 2006

Alvo demasiado apetecível/Dar porrada em mortos

Um grande texto do David Luz a ler aqui. Destaco:

"Disse JPP que (cito de memória) "as pessoas podem não perceber algumas coisas, mas têm um faro" que lhes diz se um candidato é de confiança. E nesse momento o público aplaudiu. Este aplauso diz muito. As pessoas reconhecem a sua fraca capacidade interpretativa do mundo em termos analíticos. Têm um sentimento de inferioridade face aos "intelectuais", mas congratulam-se pelo "faro", por julgarem que essa intuição se pode substituir a um pensamento estruturado. Ao mesmo tempo, os intelectuais são olhados com desconfiança. A forma como se fala deles junta frequentemente termos depreciativos com um respeito temeroso, como se fossem considerados um mal necessário a que é necessário recorrer quando falha o tal "faro". Isso viu-se também na forma como muitos blogues se referiram a MMC depois da edição do livro. Uma vez dessacralizado por via da sua queda em desgraça, o intelectual torna-se um alvo demasiado apetecível."

De facto, um dos desportos preferidos dos comentadores portugueses é dar porrada em mortos, nos alvos apetecíveis. A repetição da pancada possui o fascínio da caçada em grupo, do tempo em errávamos na estepe.

quinta-feira, maio 25, 2006

Modelo Social Europeu já começou nos EUA

Recentemente, o Estado do Massachusetts decidiu implementar um plano de saúde quase universal, bem ao estilo do Modelo Social Europeu. São sem dúvida sinais da falência de um modelo social selvagem que faz dos EUA uma bizarria social entre as democracias ocidentais, onde quase 1% da população está atrás das grades, onde a criminalidade é a mais alta da OCDE, onde 20% da população não tem acesso a cuidados de saúde, apesar da fatia do orçamento estatal para a saúde ser dos mais elevados na OCDE. Como Rifkin explica em o "Sonho Europeu", a exclusão de parte significativa da população dos cuidados de saúde impossibilita que esta tenha acesso à medicina preventiva, aumentando a probabilidade de enfermidades e ao recurso à medicina curativa, que é sempre mais cara. São ironias do país da guerra preventiva que esquece a importância da medicina preventiva...

segunda-feira, maio 22, 2006

Spike Lee vs 50 Cent

O debate entre Spike Lee e Curtis James Jackson (50 Cent) é um dos mais interessantes debates da actualidade, embora difícil de seguir nas TV's americanas pouco dadas a debates intelectuais entre afro-americanos, especialmente a Fox, uma TV de brancos para brancos. No entanto, inúmeros fóruns na internet mostram que este debate não deixa indiferente essa América dos bairros de Spike Lee e de 50 Cent.

Apesar de achar pobrezinho o gangsta rap de 50 Cent e merecedor de poucas simpatias da minha parte, há algo que aprecio na personagem. 50 Cent veio de um meio difícil e embora o relembre repetidamente, 50 Cent raramente se arma em vítima. Numa era em que a vitimização é fácil e barata (especialmente nos meios islamistas do Médio Oriente e na América Latina), pelo menos 50 Cent tem a virtude de ser pouco dado a hipocrisias.

50 Cent apresenta-se e representa-se como um gangster, fazendo uso exaustivo de toda a simbologia de poder dos gangsters: o dinheiro, os grandes carros, as piscinas, as gajas, o proxenetismo, os anéis, o ouro e os diamantes. É esta faceta gangster que é o alvo principal dos ataques de Spike Lee. Uma crítica especialmente deliciosa e incisiva de Spike Lee a 50 Cent é aquela interpretada pelo magnífico John Turturro através da personagem Don Angelo Bonasera no filme "Ela odeia-me". Nesta película, o mafioso Bonasera ensaia um discurso delirante no contexto em que decorre a narrativa, mas absolutamente sóbrio sobre os novos tempos da máfia e dos gangsters. Segundo Bonasera os verdadeiros gangsters continuam a pertencer à comunidade italiana e de uma forma jocosa constata as pretensões de 50 Cent e de outros oriundos da comunidade afro-americana à categoria de gangsters. Mas Bonasera lamenta que os seus recrutas mais jovens que cresceram a ouvir Sinatra, tenham acabado a ouvir Snoop Dogg...

sexta-feira, maio 19, 2006

quinta-feira, maio 18, 2006

Uma microscópica correcção sobre um telescópio

Nos jornais da Tarde e da Dois da RTP passaram uma reportagem bem feita sobre a nossa participação num consórcio internacional que se propõe apresentar um telescópio espacial de raios gama ao programa Cosmic Vision da Agência Espacial Europeia. O problema é que os pivots dos respectivos jornais se enganaram e isso pode confundir os interessados na notícia.

1- Não se trata de um microscópio de raios gama como foi referido no Jornal 2, mas sim um telescópio de raios gama.

2- Nós não desenvolvemos as lentes para o telescópio como referiu o pivot do Jornal da Tarde, mas sim os detectores do plano focal, onde se vai formar a imagem dada pelas lentes (que são desenvolvidas em Ferrara).

Acontece! Fica apenas a correcção para não haver confusões. Já me dou por muito satisfeito por a televisão dar alguma atenção a este tipo de assuntos, em vez de transmitir uma jantarada de benfiquistas de bigode em riste ou 5 minutos de treinos do Sporting.

Petição: Basta de Scolari

Eu sei que a asneira já está feita, que já não há volta a dar-lhe e que agora os bons jogadores como o Figo, o Ronaldo ou o R. Carvalho, sobreviventes da razia de cunhas que marcaram a convocatória de Scolari, devem jogar o melhor que puderem sem que Scolari atrapalhe muito o seu desempenho futebolístico. Mas para evitar que alguém tenha a brilhante ideia de renovar com Scolari e porque já não há pachorra para os delírios deste admirador de Pinochet, convido-vos a assinar a petição Basta de Scolari aqui.

quarta-feira, maio 17, 2006

Um ano de bicharada

O Bicho Carpinteiro tem a particularidade de ser um blogue onde a amplitude da esquerda é superior à soma das esquerdas separadas. Num país onde as esquerdas têm tendência a se subtrair, espero que essa virtude não se perca e que os Bichos continuem a dedilhar.

Cannes 2006 com participação portuguesa

O melhor e o mais internacional festival de cinema começa hoje, sendo presidido este ano pelo realizador chinês Wong Kar Wai. Entre os filmes da selecção oficial que vão estar em competição encontramos "Volver" de Almodóvar, "O Caimão" de Nanni Moretti, "Maria Antonieta" de Sofia Coppola e... o português Pedro Costa (realizador de "Ossos") com o seu novo filme "Juventude em Marcha". Acho absolutamente escandaloso o silêncio que reina em Portugal sobre esta prestigiante participação do Pedro Costa na Selecção Oficial.

Sítio Cannes 2006

terça-feira, maio 16, 2006

He got game

"He got game" de Spike Lee não é dos filmes mais conhecidos do cineasta, mas é na minha opinião um dos seus melhores filmes. Denzel Washington interpreta a personagem Jake Shuttlesworth (para mim a melhor interpretação da sua carreira) a cumprir uma pena de prisão por um drama familiar traumático. No âmbito dum esquema de corrupção bem ao estilo do apito dourado, são concedidos alguns dias de liberdade a Jake para convencer o seu filho Jesus (que não gosta do nome dado pelo pai) a escolher a equipa da Liga Universitária de Basquetebol do amigo do director da prisão.
A obsessão de Jake pelo jogo e o rigor no treino que este exige a Jesus como meio de contrariar o destino de todos os negros e dos latinos do bairro, são a verdadeira polpa deste filme. Tudo joga contra Jesus, um jovem negro dum bairro pobre, mesmo quando a sua carreira parece propulsionada para o estrelato. As drogas, o álcool, as gajas, os amigos da onça, os empresários e as máfias desportivas são as habituais distracções que destruíram uma mão cheia de outros grandes craques do mesmo bairro de Jesus.
O filme tem a particularidade de contar com a figuração de numerosas estrelas da NBA como Michel Jordan, Shaquille O'Neal, Scottie Pippen, Charles Barkley e ainda da estrela do cinema erótico Jill Kelly. John Turturro tem aqui mais uma das suas mini-interpretações fantásticas no papel de Billy Sunday, um treinador que tem tanto de corrupto como de religioso, que não hesita em fazer uma reza para que Jesus escolha o seu clube.

segunda-feira, maio 15, 2006

O Circo Scolari

Foi uma conferência de imprensa infantil como é habitual e de um ódio velado que mete dó. Obviamente que não vou apoiar Portugal. Sobre Scolari já aqui escrevi o que tinha a escrever.

Chernobyl e o futuro

À custa de milhares de vidas dos chamados liquidadores (as principais vítimas de Chernobyl) foi construído um sarcófago que impediu que o material altamente radioactivo exposto ao ar, após a explosão do reactor 4, continuasse a contaminar a atmosfera. No entanto, as condições em que se efectuou essa construção eram muito precárias dados os perigosíssimos níveis de radioactividade junto à central que limitavam o tempo de trabalho de cada liquidador a uma exposição de cerca de dois minutos sem protecção. Actualmente, o sarcófago de Chernobyl atingiu um estado de degradação tal ao ponto de chover dentro do sarcófago.
De forma a resolver este problema foi criado um fundo pelo Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento com o objectivo de construir um novo sarcófago (na figura) para o reactor 4. Hans Bilx, o líder da equipa de inspectores de armas de destruição em massa no Iraque, é o responsável pela angariação de fundos e de dádivas para a construção do novo sarcófago de Chernobyl.
O acidente de Chernobyl cujos custos contribuíram em muito para a implosão da economia da União Soviética, continua a pesar no orçamento da Ucrânia e continuará durante longos anos a aumentar a factura do acidente. Esta é a outra catástrofe do acidente, para além da catástrofe humana.

Mais sobre Chernobyl

domingo, maio 14, 2006

A minha selecção

Treinador: José Mourinho

11 inicial:
Baía
Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Fernando Meira e Miguel
Cristiano Ronaldo, Luís Figo, Tiago e Ricardo Quaresma
Nuno Gomes e Nani

Suplentes:
Paulo Santos e Ricardo
Pedro Emanuel, Caneira, Tonel e Fernando Couto
Simão Sabrosa, Manuel Fernandes, Raúl Meireles e Sérgio Conceição
Hugo Almeida e Pauleta


Não incluí o Deco. Considero ser uma forma de batota naturalizar jogadores seniores só para jogar nas selecções. Se Deco tivesse começado nas camadas jovens em Portugal, tal como alguns jogadores de origem estrangeira da selecção francesa, o problema nem se colocaria.
O Sérgio Conceição e o João Pinto fizeram excelentes épocas. Escolhi o Sérgio, mas o João Pinto também poderia ali estar. O Rui Costa era outro que ainda poderia um contributo valioso à selecção.
O Nani no 11 inicial não se trata de nenhum engano. É um jogador formidável, irrequieto e que nunca perde de vista a baliza adversária. Se não tivéssemos um seleccionador tapadinho, poderíamos ter uma frente de ataque cheia de genica com o Cristiano Ronaldo, o Luís Figo, o Tiago, o Ricardo Quaresma e o Nani a infernizarem completamente as defesas adversárias. Resta-nos esperar melhores dias, sem Scolari.

Despedir Scolari

Scolari, funcionário da FPF paga em parte pelos nossos impostos, é um dos funcionários públicos mais bem pagos do país, senão o mais bem pago. O comportamento de um funcionário público nestas condições excepcionais não é compatível com:

- Cunhas;
- Exclusão fulanizante dos melhores recursos humanos;
- Arrogância e abuso de poder;
- Recorrente uso de insultos e de magicações em sua defesa.


Exmo. Sr. Presidente da FPF, já não há pachorra. Sabe certamente o que tem a fazer...

sexta-feira, maio 12, 2006

Porta-aviões: uma parábola sobre a Europa e os EUA

A saga do desmantelamento do porta-aviões Clemenceau parece uma parábola sobre o que é hoje a diferença de filosofia entre os EUA e a Europa em questões ambientais. Tendo chegado ao fim de vida ao serviço da marinha francesa, em vez de um mais cómodo afundamento foi decidido o desmantelamento do porta-aviões Clemenceau, dado este possuir grandes quantidades de amianto (material perigoso) na sua estrutura. E foi aí que começou a saga do Clemenceau. Como não era viável desmantelar o Clemenceau no porto de Toulon decidiu-se enviá-lo para a Índia para aí ser desmantelado a mais baixo custo e com menos riscos para os franceses, mas com mais riscos para os indianos...
Graças aos protestos de muitos franceses e indianos e numa altura em que o Clemanceau já estava ao largo da Índia, decidiu-se finalmente por desmantelar o Clemenceau na Bretanha, em França. O Clemenceau foi proibido de passar no canal do Suez, pelo que teve de percorrer a rota dos nossos descobrimentos pelo canal da Boa Esperança, encontrando-se curiosamente neste momento ao largo da costa portuguesa.

Enquanto tudo isto se passava, nos EUA chegava ao fim de vida o porta-aviões Oriskany. Sem grandes polémicas em Fevereiro foi decido afundar o Oriskany no Golfo do México...

É por estas e por outras, que não estranhamos que hoje na Europa (até em países atrasados como o nosso) existam caixotes do lixo de triagem de materiais quase em todo o lado, lâmpadas e torneiras em locais públicos que se desligam sozinhas, etc. Nos EUA é ainda raro o local público onde existam este tipo de cuidados. Para a "mão invisível" é muito mais cómodo despejar tudo na mesma retrete e carregar no botão do autoclismo, tal como o Oriskany.

quinta-feira, maio 11, 2006

Calcule a dose de radiação cósmica durante um voo

Neste sítio podemos calcular a dose média de radiação a que somos expostos com origem nos raios cósmicos durante um voo de avião. O resultado é dado em mSv.

Por ano, em média, estamos expostos a:

- 1,5 mSv de radão e de elementos radioactivos que ingerimos;
- 1,3 mSv de origem médica (radiografias por exemplo);
- 0,5 mSv vindos do solo, principalmente do granito;
- 0,4 mSv dos raios cósmicos;
- 0,1 mSv de actividades industriais.

Por exemplo durante um voo de 3 horas entre Bruxelas e Lisboa estamos expostos a uma dose de cerca de 0,01 mSv.

quarta-feira, maio 10, 2006

Pink vs 50 Cent

"...
What happened to the dreams of a girl president
She's dancing in the video next to 50 Cent
...
"

Passagem de Stupid Girls, Pink

Spike Lee vs 50 Cent

Spike Lee sobre 50 Cent:
"whatever you are doing that makes you have to put a bulletproof vest on your 5-year-old son, that's time for some deep introspective shit"

Resposta de 50 Cent:
"Who is Spike Lee? I actually dislike the part in his movies where the character stands still [and the camera pans back] and it looks like [the character] moves. I think that’s the corniest thing on the planet" 2 de Março de 2006

terça-feira, maio 09, 2006

Reconstituição da aterragem em Titã

A não perder aqui duas magníficas animações da aterragem da sonda Huygens da ESA na superfície de Titã, reconstituída a partir dos dados enviados pela sonda durante e depois da aterragem.

Infiltrado

"Infiltrado" não é um Spike Lee como os outros. A receita base é tipo Hollywood mas o cozinheiro, não é um cozinheiro qualquer, é Spike Lee. É como pedir a um grand maître para fazer um simples bife com batatas fritas. "Infiltrado" conta a história de um sofisticado assalto a um banco cujo objectivo vai para além do próprio assalto, onde todos os personagens parecem cúmplices de alguém do lado oposto da barricada. Pelo meio Spike Lee introduz bem ao seu estilo alguns diálogos interessantes sobre as tensões étnicas e sociais do meio nova-iorquino: o polícia branco ameaçado num bairro negro, o contraste entre a linguagem dos nova-iorquinos de berço de ouro e os da periferia, o desconhecimento embaraçoso da Albânia e de Enver Hoxa numa cidade multicultural, etc.

Spike Lee vs 50 Cent
Em "Infiltrado" Spike Lee volta à carga na sua crítica ao rapper 50 Cent. Fiel à máxima de que primeiro é preciso varrer o lixo em frente à sua porta, Spike Lee denuncia a onda 50 Cent através da cena em que um rapazinho joga um violento videojogo de gangsters cuja inspiração vem da obra do rapper, nomeadamente da filosofia de vida "get rich or die or die tryin" (uma das variantes do american dream). Não é por acaso que o verdadeiro gangster do filme, um albanês, chocado com a violência do videojogo diz ao rapazinho que vai ter que conversar seriamente com o seu pai.

quinta-feira, maio 04, 2006

Um velho eclipse

No meio da minha tralha encontrei este velho eclipse parcial (27% talvez) de 12 de Outubro de 1996. As imagens foram tiradas na risca H-alfa do Sol quando trabalhei o espectroheliógrafo do Observatório Astronómico da Universidade de Coimbra.

quarta-feira, maio 03, 2006

Mostrar Coimbra como se fosse a União Soviética

No âmbito de um encontro científico internacional que estou a organizar em Coimbra, mostro a cidade aos meus parceiros investigadores qual funcionário do PC Soviético. Escondo os podres e mostro as coisas mais belas e mais interessantes. Eles gostam, mas esta cidade está uma lástima. Entregue à "mão invisível", a cultura invisível do povo não resiste às investidas de construtores civis sem escrúpulos.

Peço aos responsáveis pela gestão da cidade que leiam bem as pontas dos meus dedos:
Coimbra está uma javardice!!!

terça-feira, maio 02, 2006

Debate com H. Sauper do "Pesadelo de Darwin"

A ARTE consagrou recentemente grande espaço de debate ao filme "Pesadelo de Darwin" (ontem não transmitiram o filme à hora prevista). Aqui o debate entre Hubert Sauper e o realizador do "Pesadelo de Darwin" e Elikia M'Bokolo, especialista em história africana. Ler a entrevista a Sauper. Aqui o filme pode ser alugado via net.