segunda-feira, novembro 03, 2003

Ainda o Halloween

Na sequência do que escrevi aqui e da resposta de Pacheco Pereira, quero acrescentar que não defendo propriamente uma "excepção cultural" nesta questão do Halloween, embora não me choque a ideia de alguns proteccionismos em áreas muito específicas. Pior para mim é ver professores de escolas públicas a promover este tipo de festejos (seja o Halloween ou o dia dos namorados) de forma tão entusiasta. Nos tempos que correm nenhuma criança precisa que um professor lhe explique como são as festas anglo-saxónicas, basta que ligue a televisão no domingo à tarde e tem logo 3 ou 4 filmes americanos passados nestas datas.

Auream quisquis mediocritatem diligit, caret invidenda sobrius alta

Pode até ser um pouco provinciano, mas pior que amar a preciosa mediocridade é invejar a mediocridade alheia...

Sem comentários: