terça-feira, outubro 21, 2003

Imprescindível

Dogville de Lars von Trier, mesmo não se gostando dele o que é legítimo e até compreensível, há que reconhecer que é um realizador que está a um passo de escrever o seu nome no livro dos incontornáveis.

Magnífica a ironia, o sarcasmo e a grande metáfora que faz de uma aldeia perdida a América, da América o mundo e de Nicole Kidman uma reencarnação de um Cristo que troca o perdão pelo castigo à semelhança do Deus do antigo Testamento.

Maldade, inteligência , talento e arrojo juntos num grande filme...

Sem comentários: